sábado, 5 de setembro de 2009

Adeus velho Bananeira



A mais ou menos 15 anos conheci o cumpadre bananeira, índio de sorriso largo e cheio de historias para contar.
Hoje recebi com imensa tristeza e dor a noticia de sua morte. As lembranças logo me vieram à cabeça, sua imagem sempre com o sorriso aberto a nos receber com tanta hospitalidade, as caicumadas que tomei em sua aldeia, as festas que tive a honra de participar.
Hoje seu povo chora sua perda assim como eu e todos que tiveram a honra de conhecer uma alma tão pura como a sua.Conforta-me saber que estais sendo recebido com festa por teu povo em outro estagio mais avançado, os grandes querreiros os aguardam para La te darem toda honra que merece, o que não aconteceu aqui no nosso mundo, no mundo dos brancos, dos hiracothos.
Você foi um marco na minha vida, na minha historia como indigenista.Fica aqui um imenso pesar, uma saudade do tamanho de uma samauma do meu velho cumpadre bananeira.
Ratana!!

Paula Meirelles

Um comentário:

Antônio Carlos disse...

Paula fico muito feliz que você tenha essa grande carinho pelo povo indígena, e em especial por esse nosso indgníssimo que não se encontra mais no meio de nós, e creio Eu que por ele ser tão bom, não merecia estar no meio de tanta gente que não dão valor aos humanos, por raça, cor e outras espécies de preconceito e discriminação. Tive a honrra de conhecer e conversar um pouco com o (VELHO BANANEIRA) e de imediato, toruxe-nos alegria e felicidades com suas histórias, algumas lendas e aventuras passadas e sem contar nas gírias que ele ensinava-nos. Quando soube na morte dele, fiquei triste pois não esperava que ja havia chegado sua hora. Meus parabéns por essa homenagem a essa figura dislumbrante...

ADEUS E QUE ONDE ESTIVER, ESTEJA EM PAZ...